" Transforme sua ousadia em realidade, e inove a cada dia..." Afinal de contas, o que seria de nós se nossos sonhos, nossas conquistas e realizações...... Aqui você encontra um pouco de tudo...Boa pesquisa....

24
Ago 10

 

 

 

HISTOLOGIA ANIMAL

TECIDO NERVOSO

 

 

 

 

Tecidos são conjuntos de células similares e das substâncias que a envolvem. As células especializadas e a matriz extracelular envolvente formam todos os diferentes tipos de tecidos encontrados a nível de organização tecidular. A classificação dos tecidos baseia-se na estrutura das células;na composição das substancias não celulares que as envolvem, a matriz extracelular e nas funções das células

O tecido nervoso pode se dividir em:

Sistema nervoso central (SNC) – formado pelo encéfalo e pela medula espinhal;

Sistema nervoso periférico (SNP) – formado pelos nervos e gânglios nervosos.

 

O tecido nervoso é o responsável pela troca de informações rápidas nos animais. É um tecido muito importante, pois sem ele não seria possível comandar as diversas partes do organismo de forma rápida e eficiente.

O tecido é composto por neurônios  (ou células nervosas), que são células especializadas na condução de impulsos elétricos. Essa célula é dividida em três partes distintas:

1. Corpo celular: é a parte onde ficam o núcleo e diversas organelas, como mitocôndrias, que irão produzir algumas substâncias importantes e energia para o funcionamento correto da célula.

2. Dendritos: são várias pequenas ramificações que saem do corpo celular, e funcionam como “antenas”, para captar sinais elétricos e retransmití-los através do axônio*

* Axônio: é uma grande extensão do corpo celular, que se conectam a outros neurônios ou às células de outros tecidos, como músculos, glândulas, etc.

3. BAINHA DE MIELINA: Nos axônios de maior diâmetro, a célula envoltória forma dobras múltiplas e em espiral em torno do axônio. Ao conjunto dessas dobras múltiplas denomina-se bainha de mielina e as fibras são chamadas de fibras nervosas mielínicas.

 

 

 

 

Unidade Funcional

A unidade funcional e estrutural do sistema nervoso é o neurônio ou célula nervosa. São os neurônios que fazem a ligação entre as células receptaras dos diversos órgãos sensoriais e as células efetoras, nomeadamente músculos e glândulas. Os neurônios são células muito especializadas que apresentam um ou mais prolongamentos, ao longo dos quais se desloca um sinal elétrico.

Os neurônios podem ser divididos em três tipos:

1. Neurônios receptores

São os neurônios encarregados de captarem informações diretamente das células sensoriais, como aquelas que compõem a retina (olho), o ouvido, tato, a língua, etc. Essa captação é feita utilizando os dendritos.

2. Neurônios de conexão ou mistos

Fazem a conexão entre dois neurônios. Recebe informação pelo dendrito, e a repassa à célula nervosa seguinte usando o axônio. Esse tipo é o mais encontrado nos sistemas nervosos animais.

3. Neurônios efetores

São os neurônios que recebem as informações do cérebro (as respostas aos estímulos captados pelos neurônios receptores) e as repassam para os músculos, glândulas, etc.

Exemplo:
Ao encostar com a ponta do dedo em uma agulha, as células sensoriais presentes na pele do dedo captarão essa “espetada”, e transmitirá essa informação para o cérebro, utilizando-se dos neurônios receptores e de conexão. O cérebro irá processar a informação e irá dar uma ordem para que o músculo responsável pelo dedo se contraia, a fim de eliminar o perigo de ser perfurado. Essa última parte é feita pelos neurônios efetores.

 

 

 

 

 

 

Classificação dos neurônios:

Os neurônios podem ser divididos e classificados segundo algumas características particulares como a forma e a função.

 

 

Quanto à forma:

Multipolares: pertencem a esta classe a maior parte dos neurônios; ex.: neurônios motores.

Bipolares: em condições normais possuem um dendrito e um axônio; este tipo de neurônios pode ser encontrado na retina e mucosa olfativa.

Unipolares: sendo muito raro este tipo de neurônios possuem apenas um corpo celular e um prolongamento.

Pseudo-unipolares: atuando no desenvolvimento embrionário este se apresenta bipolar, sofrendo uma mutação posterior. Mais tarde torna-se unipolar devido a crescimento assimétrico do citoplasma e rotação; estes possuem ainda arborizações terminais que funcionam de forma semelhante aos dendritos; este tipo de neurônios poderá ser encontrado nos gânglios espinhais.

 

 

Quanto à função:

Motores (eferentes): controlam órgãos efetores, como glândulas e fibras musculares.

Sensoriais (aferentes): recebem estímulos do organismo ou do ambiente.

Interneurônios: estabelecem conexões entre outros neurônios, formando circuitos complexos.

A enorme variedade de neurônios deve-se a dois fatores, sendo estes a existência de uma grande variedade do ponto de vista da morfologia neuronal, e a existência de uma grande diversidade de neurotransmissores.

 

TRABALHO APRESENTADO EM SEMINÁRIO DE BIOLOGIA, NO COLÉGIO MANOEL ANTÔNIO DE CASTRO; CEDIDO PELOS ALUNOS:  

Ana Maria Maia, Glaucia Correa, Dhonny Guimarães, Dhonny de Sousa e Aldir Martins.

publicado por A educação sozinha não transforma a sociedade, sem às 21:19

Agosto 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

22
23
25
26
27
28

29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO